Todos os post de Instituto Carl Hoepcke

Casa da Memória Annita Hoepcke da Silva

 

Na data em que completa 1 ano de sua partida, Annita  recebe uma homenagem mais que merecida de sua querida Florianópolis. A Casa da Memória de Florianópolis foi batizada com o nome de Casa da Memória Annita Hoepcke da Silva, presente especial a Florianópolis e cultura catarinense.

Mulher ímpar, elegante, inteligente, empresária, mãe, avó e bisavó, Annita Hoepcke da Silva deixa um grande legado. Partiu cedo, muito cedo  pois tinha  muita vontade de viver, muita garra,  um sorriso contagiante  e um amor incondicional pela música. Sua memória  jamais se apagará, pois deixou um pouco de si em todos que tiveram o prazer de compartilhar sua vida.

 

Feliz Natal e Próspero Ano Novo

Votos do Instituto Carl Hoepcke aos seus sócios, parceiros e amigos.

 

A postagem está ilustrada por imagens feitas de um presépio adquirido por D. Ruth Hoepcke da Silva, no final da década de 1930 em Oberammergau, Alemanha. O Conjunto é composto por 18 peças em madeira policromada das quais selecionamos as representações do Menino Jesus, Nossa Senhora e São José.

Acervo do Instituto Carl Hoepcke – Coleção de Ruth Hoepcke da Silva

 

Annita Hoepcke da Silva

 

O Instituto Carl Hoepcke está preparando uma exposição com móveis originais provenientes da residência de Annita Hoepcke da Silva, fundadora, primeira presidente e mantenedora do ICH. A ideia é oferecer, através de alguns objetos usados em seu cotidiano, que proporcionam pequenas noções da personalidade de Annita. Há nove meses Annita nos deixou.

 

Surpresas que nos deparamos ao fazer manutenção em porta-retratos no ICH

Hoje postamos uma ilustração exemplificando as surpresas com que, muitas vezes, nos deparamos no trabalho com a cultura e com os objetos históricos. Ao fazer a manutenção de uma peça, um pequeno porta-retratos, nos deparamos com dois outros objetos desconhecidos até o momento, uma fotografia e uma silhueta à moda alemã, largamente usada no início do século XX, de Carlos Hoepcke, o sucessor do pai nos negócios da família. Os objetos estavam cobertos por uma gravura religiosa, francesa, de Santa Terezinha do Menino Jesus, mas aí já é assunto para outro momento.

 

Invenção & Imaginação – Arte e ciência em diálogo com o tema “A terra é redonda: leis fundamentais para uma arte-ciência”.

 

Vem aí a última mesa redonda do projeto Invenção & Imaginação – Arte e ciência em diálogo com o tema “A terra é redonda: leis fundamentais para uma arte-ciência”.
Na ocasião dos 450 anos de nascimento de Johannes Kepler em dezembro de 2021, celebraremos este pesquisador, considerado um dos principais pensadores da história do Ocidente e responsável pela consolidação das teorias copernicanas e pelo desenvolvimento de pesquisas importantes no campo da ótica que legitimaram teorias de seu contemporâneo Galileu Galilei.
O cerne será uma oportunidade para investigarmos origens e destinos das revoluções científicas. Traremos o foco para o atravessamento dos limites epistemológicos como condição para combater o eurocentrismo, o negacionismo e o pensamento plano.
O encontro gratuito e on-line acontece na quinta-feira 09/12, às 15h.  Já se inscreveu?
bit.ly/InvencaoeImaginacao
Com tradução simultânea para libras, português, alemão e francês.
Este evento é realizado pelo Mast, pelo Goethe-Institut e pela BiblioMaison, com apoio financeiro do Fundo Franco-Alemão de Cultura.

 

FRITZ MÜLLER em Florianópolis

 

Em consonância com os trabalhos da comissão Fritz Müller 200 anos, do município de Florianópolis, no dia 23 próximo passado o Prefeito Gean Loureiro sancionou a Lei nº 10.821 – que denomina Estuário Fritz Müller, uma área de espelho d’água, com aproximadamente 30 km² delimitada pelas embocaduras do Rio Itacorubi e do Rio do Sertão (ambos formando duas importantes bacias hidrográficas na área urbana do Município de Florianópolis.

Fritz Müller, filosofo da Natureza (hoje uma mistura de Biólogo e Geografo), Médico, emigrou em 1852 da Alemanha para o Brasil. Viveu até 1856 em Blumenau como um simples colono. No final de 1856 atendeu ao convite do então presidente da Província, José Coutinho e veio residir em Desterro onde deu aulas no Liceu Provincial. Morou na praia de Fora e usava seu tempo livre para fazer pesquisas. Em 1861 Fritz Müller recebeu de presente de seu irmão, o livro de Darwin – Origem das Espécies – lançado dois anos antes. Na obra ele percebe afinidades da nova teoria com suas pesquisas aqui na ilha.

Essas afinidades fizeram com que ele escrevesse o livro “Für Darwin” – “Para Darwin ou a Favor de Darwin”. O livro foi determinante na relação entre os dois cientistas, iniciando uma intensa troca de correspondências. Darwin reconhece a importância cientifica de Fritz Müller e, a partir da 4º edição do Origem das Espécies, cita – o por 14 vezes em seu livro.

Fritz Müller, viveu em Desterro por 11 anos, morreu em Blumenau no dia 21 de maio de 1897.