(48) 3222-2580

Viagem à Alemanha 2015

Bisneta de Carl Hoepcke encontra na Alemanha as origens familiares do empresário que mudou a economia de Santa Catarina.

DSC03006 web

Annita Hoepcke da Silva visitou a região e permitiu que os atuais moradores de Striesa (apenas 46 pessoas) e de Lebusa  tivessem as primeiras informações sobre o homem arrojado que criou o maior império industrial que Santa Catarina já conheceu. Acompanhada por Max José Müller, superintendente do Instituto Carl Hoepcke (do qual é fundadora e presidente), Annita conheceu a família que mora na mesma propriedade dos antepassados. Ela entrou na igreja frequentada no século 19 pela família do bisavô, em Lebusa, viu construções remanescentes da mesma época em Striesa, circulou pelo bairro de Moabit, de onde Henriette e os filhos embarcaram num trem rumo a Hamburgo, em cujo porto tomaram um navio para o Brasil, em 1863.

Rompeu-se, assim, o isolamento bilateral de um século e meio, porque nenhum descendente de Carl havia visitado a região de origem do futuro empresário que saiu da Alemanha com 18 anos – ele fez o 19º aniversário no navio – e instalou-se em Blumenau, mudando-se para a cidade do Desterro três anos depois, em 1866.

“Fomos recebidos com fidalguia”, diz Annita Hoepcke da Silva, destacando que a volta ao passado e às origens da família é apenas uma etapa do intercâmbio que o Instituto Carl Hoepcke pretende estabelecer com a Alemanha.

Há também mapas e fotos da época e remanescentes arquitetônicos como a igreja de Lebusa, construída no século 17 e que foi frequentada pela família Hoepcke, onde existe um órgão de 1727 que foi usado para saudar os visitantes. “O organista fez uma bela apresentação para nós”, conta Annita.

DSC03024 web

Recortes do Texto Paulo Clóvis Schmitz – Jornal Noticias do Dia – 07/10/2015

FALE CONOSCO

Nome
E-mail
Mensagem

LOCALIZAÇÃO